CIMAT designa-se oficialmente por Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega e Barroso

CIMAT designa-se oficialmente por Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega e Barroso

No passado sábado, dia 8 de outubro, a CIMAT assumiu oficialmente a designação Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega e Barroso, numa cerimónia pública que decorreu junto ao Posto de Turismo do Alto Tâmega e Barroso, em Chaves.

A envolvente do Posto de Turismo do Alto Tâmega e Barroso acolheu mais de uma centena de convidados para a cerimónia oficial de alteração da denominação da Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega, que passa agora a integrar no seu nome o Barroso.

A abrir o evento, presidido por Isabel Ferreira, Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, esteve João Noronha, Vice-Presidente da Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega e Barroso (CIMAT), que referiu que a escolha do local para a realização do ato “não foi por acaso”, uma vez que “este espaço congrega a promoção turística de toda a região do Alto Tâmega e Barroso, um marco identitário da nossa estratégia de colaboração entre municípios e da promoção e valorização em conjunto das potencialidades dos recursos endógenos do nosso território”.

O também Presidente da Câmara Municipal de Ribeira de Pena acrescentou que “juntos fazemos mais e melhor” pela região, estando esta CIM “norteada pelo espírito de coesão, união e solidariedade entre os seus membros, circunstância que se tem revelado muito importante na sua capacidade de afirmação e de intervenção institucional junto de diversos centros de poder e de decisão na defesa dos interesses do território”.

O responsável concluiu a sua intervenção dizendo que esta alteração da denominação da CIMAT “representa o aprofundamento do processo de integração e de valorização da história e da entidade comum da região, assente no caráter das suas gentes, na polaridade da paisagem, na abundância e riqueza patrimoniais, na aptidão para gerar produtos de excelência, e uma marca identitária, única e forte no contexto nacional e internacional”.

Fernando Queiroga, presidente da Câmara Municipal de Boticas, concelho que, juntamente com Montalegre, compõe a subregião do Barroso, desde 2018 declarado Património Agrícola Mundial pela FAO, realçou “o grande simbolismo que representa para a região a recuperação da identidade que caracterizou estes territórios durante longas décadas já que esta nossa região sempre foi conhecida e reconhecida como Alto Tâmega e Barroso”.

O autarca botiquense salientou que a alteração da denominação da CIMAT, integrando agora no seu nome a região do Barroso, vai também ajudar a “desenvolver e catapultar a Bio-Região do Alto Tâmega e Barroso, integrada na rede internacional de Bio-Regiões”.

“A região do Alto Tâmega e Barroso tem imensas potencialidades que são nossa obrigação promover, criando novas oportunidades económicas para a nossa população, geradoras de bem-estar social e de qualidade de vida. A maior riqueza que temos são, sem sombra de dúvida, as pessoas, que mantêm uma forte ligação à terra”, afirmou ainda o responsável pela autarquia de Boticas, rematando que: “Aquilo que nos une deve ser sempre muito mais do que aquilo que nos separa”.

O Primeiro Secretário Executivo da CIMAT, Ramiro Gonçalves, destacou ainda que este, é mais um passo importante na dimensão da estratégia de marketing territorial em curso: “O ‘Alto Tâmega e Barroso’ é uma marca forte, agregadora, representativa, identitária e que nos localiza de forma inequívoca no País, constituindo esta alteração da denominação, também ela por si, um processo de valorização”.

 

António Cunha: “É um nome que une ainda mais a região”

 

Marcou também presença neste evento António Cunha, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento do Norte (CCDR-N) que ressaltou a importância histórica da nova designação desta Comunidade Intermunicipal: “É um nome que une ainda mais a região, é um nome que reconcilia este território com a sua história, é um nome que neste exercício de integração deixa todos mais confortáveis e, portanto, parabéns e muitos sucessos para a Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega e Barroso”.

A última palavra ficou a cargo da Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional que, entre rasgados elogios à CIMAT e aos projetos que esta tem vindo a desenvolver, nomeadamente o AquaValor, fez questão de realçar a identidade do território, que “exige parcerias, exige coesão também a nível da Comunidade Intermunicipal. Nós tínhamos o Alto Tâmega, mas temos também todo este território do Barroso e, portanto, é importante agregar aqui recursos endógenos fundamentais como a água, os territórios agrícolas que são património mundial, e que deve deixar-nos a todos muito orgulhosos, assim como as energias renováveis. Portanto, não faltam a esta região recursos endógenos que podem ser aproveitados cada vez mais para afirmar a identidade de um território porque isso é que fará a diferença em termos de captação de investimento, de criação de valor e de criação de emprego”.

Na cerimónia foi realizada a apresentação do novo vídeo do território, partilhado por todos os meios digitais dos Municípios em simultâneo nesse mesmo dia pelas 20h, e que pode ser visualizado no seguinte endereço:https://www.youtube.com/watch?v=lCqRbr1LAOw&ab_channel=CIMAltoT%C3%A2megaeBarroso

 

A ocasião, que contou também com a presença de várias outras entidades da região Norte, serviu ainda para condecorar a Orquestra de Sopros da Academia de Artes de Chaves com o segundo título de “Embaixador do Alto Tâmega e Barroso”, tendo o primeiro sido atribuído a Jorge Braz, Selecionador Nacional de Futsal, em abril último. A evocação esteve a cargo de Nuno Vaz, Presidente do Município de Chaves, que destacou a excelência e o extraordinário trabalho realizado pela Orquestra, referindo-se ainda ao momento particularmente importante da Região nesta fase de transição de fundos europeus, chamando a atenção para a necessidade da promoção de maior coesão dentro da região Norte na distribuição dos mesmos.

Os presentes foram ainda agraciados por mais uma extraordinária atuação desta nossa orquestra.

No final da cerimónia houve ainda uma degustação de produtos da região, ao som de DJ Wild, mostrando assim aos convidados o que de melhor há no território.