Valpaços foi palco do V AQUAFORUM – Fórum Europeu de Investigação, Inovação e Valorização da Água Mineral Natural

Valpaços foi palco do V AQUAFORUM – Fórum Europeu de Investigação, Inovação e Valorização da Água Mineral Natural

O Auditório Arte e Cultura Luís Teixeira, em Valpaços, acolheu, na passada sexta-feira, dia 14 de julho, pela primeira vez, a 5ª edição do AQUAFORUM, um espaço de debate sobre o recurso “água” enquanto elemento agregador do Alto Tâmega e Barroso. 

A abertura deste Fórum ficou a cargo do Vereador da Câmara Municipal de Valpaços, Jorge Pires, que deu as boas-vindas aos presentes, salientando o gosto que foi para o seu município acolher este evento que, ano após ano, continua a despertar o interesse de diversos atores da região, nomeadamente de investigadores ligados à temática da água.

Neste mesmo painel estiveram ainda presentes Nuno Vaz, enquanto Vice-Presidente do AquaValor, Luís Pais, Vice-Presidente do Instituto Politécnico de Bragança – IPB, e Isabel Ferreira, Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional.

Maria José Alves e Ramiro Gonçalves, ambos Diretores Executivos do AquaValor, apresentaram de seguida as atividades desenvolvidas e os resultados obtidos por esta entidade desde a sua criação.

A “Valorização do Interior” ficou a cargo de Maria Fernanda Rollo, Professora Catedrática da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, e de Fernando Freire de Sousa, Presidente do Conselho Geral da Universidade do Porto.

Da parte da tarde falou-se sobre “Água Mineral Natural como Fonte de Inovação”, composto pelos seguintes temas: “Educação para a saúde e águas mineromedicinais em pacientes diagnosticados com fibromialgia”, por Natália Calvo-Ayuso; “Água Mineral Natural como ingrediente ativo na composição de cosméticos: o caso da Cró Water”, por André Araújo; “Turismo de Saúde e Bem-Estar: um produto estratégico para as regiões”, por Joaquim Gonçalves Antunes; e “Energia Geotérmica em Portugal: exemplos da sua aplicabilidade”, por Marina Paiva.

A Secretária de Estado Isabel Ferreira voltou a intervir na sessão desta feita sobre “O papel dos Fundos Europeus no Desenvolvimento dos Territórios”.

O encerramento ficou a cargo de António Cunha, Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), e da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, que teceu rasgados elogios ao trabalho que tem vindo a ser feito pela Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega e Barroso (CIMAT), nomeadamente no que ao AquaValor diz respeito.

 importância do AquaValor na captação de Fundos Europeus para o desenvolvimento da Região

 “A essência do AquaValor que declina a estratégia da Comunidade Intermunicipal tem a ver com este esforço de competitividade, convergência e coesão do território com o todo nacional”, referiu Nuno Vaz em declarações prestadas à comunicação social, realçando, ainda, que neste AQUAFORUM “pretendemos, também, perceber quais são os passos subsequentes nesta estratégia que definimos para dez anos. Aquilo que é essencial é tornar este território e os seus recursos e pessoas mais competitivos. Criar, sobretudo, uma coesão social e territorial”.

O Vice-Presidente do AquaValor concluiu que “queremos ser mais competitivos, criar um projeto de afirmação e crescimento daquilo que é o valor produzido, mas, ao mesmo tempo, fazê-lo de uma forma equitativa para todos. É essa a grande ambição do AquaValor, que traduz também a ambição da Comunidade Intermunicipal”.

Ramiro Gonçalves destacou a importância da existência de uma infraestrutura como o AquaValor no território, pois, antes desta, nenhuma outra havia sido capaz de captar fundos europeus no âmbito da investigação e desenvolvimento tecnológico para a região: “Felizmente o AquaValor com todas as suas dinâmicas tem conseguido captar fundos europeus, um instrumento importante. O objetivo da criação de um laboratório foi, sobretudo, transferir tecnologia para o território e conseguir incorporar valor neste recurso endógeno tão relevante que é a água. É algo ao qual muita gente concorre e nós, afortunadamente, temos conseguido ter mérito suficiente para angariar essas verbas que permitem colocar novos projetos em curso, alocar mais pessoas à equipa e gerir mais dinâmicas”.

O também Primeiro Secretário Executivo da Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega e Barroso afirmou estarem “felizes por estar já na 5ª edição do AQUAFORUM”.

Marcaram também presença neste evento autarcas e representantes dos seis municípios do Alto Tâmega e Barroso (Boticas, Chaves, Montalegre, Ribeira de Pena, Valpaços e Vila Pouca de Aguiar), bem como demais entidades de relevada importância para a Região.

O V AQUAFORUM teve a organização da Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega e Barroso, em parceria com o AquaValor – Centro de Valorização e Transferência de Tecnologia da Água.

Cofinanciado por: